11 junho 2011

rainbow


Hoje só o corpo. Não uses sequer o meu último nome, como gostas de fazer quando fodemos. "...É como os gajos da tropa fazem, os fuzileiros: ó cabo Silva isto, ó 1º Ramalho aquilo" - dizes-me para atiçar a líbido. O corpo apenas. Mas não mo dês em demasia. Embriagas-me sempre, enches-me até cima. E depois ressaco, uma longa e húmida ressaca que tenho de curar à distância. Obrigas-me a actos solitários que passo a abominar. Sentado na cama, a mão morna e frenética, a calar-me de ti. Caralho, depois sinto-me sempre ridículo com os kleenex a limpar a nhanha toda. Hoje dá-me só o pouco que mereço. Fazemo-lo de pé, nem precisamos tirar as calças. Queres tu por trás, na boa. Não te exijo nada, não me cobras nada também. Fazemo-lo, fumámos um Gigante e faço-me à estrada, que ainda são duas horas e tal. E enquanto o fazemos, purgo as merdas que me disseste. Estamos condenados à precariedade. (Deixa lá, os heteros também.) Não vou deixar de ir aos chats, vou continuar a adicionar no FB. E sim, se me apetecer vou até ao Boys e engato na hora, guilty-free. Empurras-me a nuca para a frente, submetes-me. És mais baixo uns centímetros mas não deixas que isso se note. Estás com a pica toda hoje, hein? A raiva é um bom combustor. O ciúme já o foi, mas deixou de funcionar connosco. Tás-me sempre a perguntar se é a última vez. Se é a despedida. Sei lá.

6 comentários:

ianita disse...

Engraçado... leio isto enquanto vejo 7 palmos de terra :)

Muy Bien!

Isandes disse...

Tudo a ver! (Minha série de eleição de sempre...)
****

André disse...

Hummm... Muito próximo da realidade mesmo! Muito real!

Good job! Loved it! *

Isandes disse...

;)

Isac disse...

... então e o Amor ?? ;)

Isandes disse...

Qual amor? ;D