25 janeiro 2010

muito bem dito


"(...) se antes de cada acto nosso nos puséssemos a prever todas as consequências dele, a pensar nelas a sério, primeiro as imediatas, depois as prováveis, depois as possíveis, depois as imagináveis, não chegaríamos sequer a mover-nos de onde o primeiro pensamentos nos tivesse feito parar. Os bons e os maus resultados dos nossos ditos e obras vão-se distribuindo, supõe-se que de uma forma bastante uniforme e equilibrada, por todos os dias do futuro, incluindo aqueles, infindáveis, em que já cá não estaremos para poder comprová-lo, para congratular-nos ou pedir perdão, aliás, há quem diga que isso é a imortalidade de que tanto se fala."

Ensaio Sobre a Cegueira, Saramago

8 comentários:

Mel disse...

Esse foi o melhor livro que li, adorei, a minha citação preferida desse livro é "É disto que o homem é feito metade indiferença, metade ruindade", mereceu sem dúvida alguma o nobel.

E essa citação que fizeste o post não podia ser mais acertada, é escandalosamente verdade!

Beijos

Jorge Rita disse...

É por isso que primeiro devemos dar o passo e depois perceber o fundo do falso...

ianita disse...

Pois... não há dia que passe em que não me lembre deste livro, por causa do que se passa hoje no Haiti. Além da tragédia, é o ser humano posto à prova e a não superar...

Eu sou mais menina de Caverna e Memorial :)

Flá disse...

o mais perturbador é que a catástrofe no Haiti, por variadíssimas razões, fazem-me lembrar muito saramago, em especial este livro, e penso: fogo, ele tem tanta razão, mas é que tem mesmo...

Isandes disse...

é, os grandes escritores são almas iluminadas, cuja missão é verbalizar pequenos pedaços de sabedoria para k pensemos nisso...

Flá disse...

oh! que frase tão sublime, isa.

Isandes disse...

:)
mas se repararmos bem, os grandes escritores, os k não só escrevem bonito como abordam temas originais, k são criativos e k nos fazem rir, chorar e pensar, são todos génios. almas especiais. creio k o saramago está entre eles. o fernando pessoa. o gabriel g. marquez. e outros tantos... xuac!

Satine disse...

perfect.