30 abril 2009

o moço do kispo vermelho

Ali pós lados da triangulação Brito-Pevidém-Campelos, cruzo-me amiúde com um moço que anda de bicicleta pa trás e pá frente. E seja Verão, seja Inverno, anda sempre de kispo vermelho.
O homem, cujo rosto quadrado de olhos amendoados confirma "diferente" condição mental ou cognitiva (whatever), pedala como se não houvesse amanhã. E lembro-me inevitavelmente do Forest Gump, naquela ingénua obsessão pela corrida, de que tantos troçavam. E no entanto, uma sensação de dever cumprido me é transmitida...

8 comentários:

Ianita disse...

Na minha terra há um rapaz assim... quer dizer... é mais velho que eu mais de uma década... e anda a pé... todo o dia... todos os dias... sempre.... pra cima e pra baixo... pra cima e pra baixo...

Triste

Isandes disse...

triste pa kem, ianita? às tantas, faz muito sentido pa ele e nós é k andamos todos mal, pa trás e pá frente, emprego-casa, casa-shopping, shopping-emprego... sei lá...

Ianita disse...

Tens razão... uma pessoa habitua-se a rotular certos comportamentos como normais e os outros, os que fogem à norma como anormais... e não podia ser uma atitude mais errada. Primeiro porque a normalidade não existe, é uma convenção... e depois porque não é justo. Nem para nós, nem para os outros.

Desculpa.

Flávia disse...

eu sinceramente acho que os que andam a pé ou de bicicleta todo o dia, seja inverno ou verão, são muito felizes assim, devem sentir uma liberdade que n sentirão os institucionalizados. há um lugar para cada um de nós na Terra sem que tenhamos que beliscar na liberdade do outro. O filme forrest GUmp (bem lembrado, Isa!) deu-me uma grande lição e abriu uma janela nova no meu horizonte.

Isandes disse...

Ei, Ianita, desculpa a kem? a mim não; a ele? na deve ler meu blog, deixa! Bjoca!

Mt fixolas o filme, flávia!

Rita disse...

Pedivém, lol :) tenho um amigo de lá :) se calhar é esse hehe

Bruno Marques disse...

Esta história faz-me lembrar duas frases. A primeira é: "Há loucos para tudo". E a segunda é: "Um louco julga os outros mais loucos do que ele".

Isto para dizer que todos temos um pouco de louco dentro de nós, mas achamos sempre os outros mais loucos que nós.

É preciso é que cada um, dentro da sua loucura, encontre a sua constância e seja feliz da forma como vive.

Isandes disse...

Rita, one never knows... pergunta-lhe se tem 1 kispo vermelho... :)

Bruno, esse ekilíbrio às vezes é tããooo difícil...