20 fevereiro 2009

Os Maltesers e eu

A minha relação com um saquinho de Maltesers viagem Norte acima:
1º. gula pura e dura, devoro as primeiras bolas sofregamente;
2º. apalpo o saco, as bolas escasseiam, conquanto abrando ligeiramente o ritmo;
3º. as minhas invectivas começam a lembrar o reclame das Oreos: dentadinhas para remover a fina camada de chocolate, língua enrolada na bola já cansada do assédio, lambidela pelos lábios, o hálito quente do chocolate lentamente derretido;
4º. a revolta, o desassossego, a ânsia. Baixo os braços. Mamei-os todos, não há mais. Ponto.

6 comentários:

Flávia disse...

Que descrição tão cheia de luxuria quanto de gula. Para mim o auge do post é mesmo: "Mamei-os todos, não há mais". Ah valente!!! :DDD

Rita disse...

Que vício :P

Jorge Rita disse...

Há coisas que a emergencia não resolve.(no caso até agradece que sejam partilhados. O doce nunca amargou...)

Ianita disse...

LOL

Eu é mais ou menos assim também :)

Beijos!

Bruno Marques disse...

Também gosto de maltesers. Não consigo é fazer descrições tão deliciosas como esta...:D

Paulo disse...

Espero que a PSP de Braga não tenha conhecimento desta descrição senão estás tramada.