18 fevereiro 2009

O passado no futuro

Às vezes, algumas, nem muitas nem poucas, assim-assim, penso naquilo de que os "nossos" filhos sentirão saudade quando tiverem idade suficiente para sentir nostalgia pelo passado.

"Eh pá, lembras-te de quando ficávamos horas e horas a jogar PSP? Bué da fixe!"

"Ya, e daquela vez em que quase caímos pró lado de tanto jogar na Wii?"

"Não, desculpa, e quando faltamos à visita de estudo para entrarmos em rede? Brutal..."

"Ah, já mandei 10 sms à Rita a dizer-lhe para nos encontrarmos no cyber Café mais logo; achas que ela percebeu? Vou mandar-lhe mais uma."

"Socorro! Acabou-se-me a Ritalina! E agora, como vou estar concentrado para ir ao meu hi5?!..."

Isto a propósito dum colega de Educação Física que se queixou que os miúdos não sabem para que são os berlindes, da minha mami que estranhou que dois priminhos nossos não saibam jogar ao esconde-esconde, de eu própria ter transpirado para ensinar os meus putos a jogar ao lenço, de ver a criançada a faltar às aulas de Ginástica para ir para o Youtube...

Não é estar agarrada ao passado, é mais não perceber como se perdeu o entusiasmo pelas actividades colectivas e físicas... Qualquer dia, nem de sexo gostam...

8 comentários:

Ianita disse...

É tudo uma questão de educação... nos meios rurais e nas cidades mais pequenas ainda se brinca... mas pouco, porque agora há um fenómeno bem pior que a Internet, o medo!

Noutro dia reparava no meu vizinho de 11 anos às voltas com a bicicleta no reduzido jardim da mãe dele e lembrei-me que dantes, no meu tempo, a rua era nossa... andávamos rua acima, rua abaixo e os nossos pais em casa, despreocupados. Agora nem nas aldeias os miúdos andam à vontade... olhei pro miúdo e tive pena e vi que aquela aldeia, embora na mesma, está tão diferente!

E mesmo eles tendo espaço para brincar não o fazem, porque os pais nem sequer no jardim os deixam estar desacompanhados... e não têm outro remédio que não seja ficarem em casa, como se vivessem em Lisboa num apartamento sem varanda e sem nada... Triste. Muito triste!

Kisses

Paulo disse...

Pois, eu aposto que só vão gostar de sexo cibernético :P

Rita disse...

Realmente, é triste :S

Caetana disse...

Caraças, não gostar de sexo é que não... looool

irre_place_able disse...

Concerteza esses jovens e crianças terão sempre uma vivência cada vez mais diferente tal como a forma de a recordar... Vai ser alterado de geração em geração, e cada vez mais muitos valores importantes se vão perdendo...

Bom ou mau? Acho que ainda ninguém sabe :)

Kiss

Flávia disse...

Isa, viste o filme de animação "Wall-E"? (muito mais direccionado para adultos que para crianças) Ele dá-te a resposta. Aliás, parece um exercício de futurologia e mostra que daqui a umas décadas nem levantaremos o cu de uma cadeira que simplesmente fará tudo por nós, inclusive andar... Escusado será dizer qual o efeito físico disso. Mas é um filme muito verosímil e que mostra quão vítimas podemos ser da nossa própria genialidade. Muito bom, uma lição de humanidade.
beijinhos.

Isandes disse...

Pois, isto é 1 cena geracional, nem é bom, nem é mau. A minha mãe diz k não brincava, eu brincava na rua, os putos agora brincam no jardim... "x".

Flávia, inda na vi esse filme, na sra... na punha fé, mas se dizes k vale, talvez veja mesmo, thanks!

Satine disse...

=/ é triste. mesmo mesmo triste.

é o que eu digo.. isto vai de mal a pior!