19 setembro 2008


(...) Os amantes dos animais são uma casta especial de seres humanos, espíritos generosos e cheios de empatia. Talvez um pouco dados a sentimentalismos e com corações do tamanho de um céu sem nuvens.

(...) Enquanto ali permanecia, dei por mim a rememorar pequenos fragmentos da sua vida. Sentia-me envergonhado de ver até que ponto ia a minha dor e pesar pela morte deste cão. Uma dor mais profunda do que por alguns seres humanos que eu tinha conhecido. Não é que eu comparasse a vida do meu cão com a das pessoas, mas fora da minha família mais próxima, poucas pessoas se me tinham entregado com tal abnegação. (...) Passei a semana toda com uma dor surda dentro de mim. Era uma dor física, não muito diferente de uma úlcera no estômago. Estava letárgico, desmotivado.


Não adorei Marley & Eu, mas tenho que dar o braço a torcer; é ternurento. "Vais rir e chorar, chorar muito", previam. Como detesto profecias que se auto-concretizam!! Reservei as últimas páginas para hoje de manhã, e sim, baba e ranho, como se estava mesmo a ver.

E não é que esta ligação humano-canídeo tem mesmo algo de inexplicavelmente cúmplice? Sempre tivemos gatos e cães por casa (actualmente, temos a Salomé, caniche mimadíssima e resmungona, e a Fi, dálmata hiper activa, de olhos bicolores com estrabismo convergente, surda como uma porta de madeira maciça,e coxa da pata traseira, ah!, também ressona como uma porca com sinusite aguda). Mas na verdade, se há companheiro que me marcou foi o Pitó. Leal, brincalhão e paciente, passeou-se connosco pela França, ficou hospedado na minha avó durante um ano, dissuadindo-nos de voltar a repetir essa injustiça ao receber-nos hiper-mega-efusivamente no nosso regresso. (Ainda me lembro do meu pai o sepultar, do meu irmão lhe improvisar uma sepultura e de eu lhe depositar lá flores...)

Acredito mesmo que os animais nos tornam pessoas melhores. Se tivermos altruísmo suficiente para dedicarmos carinho, paciência, tempo e dinheiro para tratar de um cão, gato, whatever, isso deverá significar que somos pessoas especiais, com um coração suficiente para albergar todas as pessoas que nos vão tocando ao longo da vida. (Sim, hoje tou praí virada...)

4 comentários:

Jorge Rita disse...

Ris, choras e percebes que afinal essa relação de cumplicidade com o Teu Cão é de facto um bom amor.
Fizeste-me soltar uma pinguinha. Tive saudaditas do meu Nicolau...(hoje estou com tudo á flor da pele)

Paula disse...

Realmente os animais são nossos Amigos!!! Apenas devemos ter cuidado pra não lhes passar por cima lol
Tou na brinca, isto é só pra animar um cadinho caso contrário ficamos todos a chorar
kiss
continua

Isandes disse...

Paula, matas-me de remorsos...

paula disse...

eheheh